Bradiarritmias

Duas da manhã. Você está terminando de despachar o último paciente. E eis que a porta abre com a equipe trazendo um paciente convulsionado. Você chega até a ficar alegre, afinal, Diazepam, laboratoriais, no máximo uma TC de crânio e deixar para a rotina liberar, não é mesmo? É quando um técnico, dos velhos da…

Taquicardias

          Dentro do contexto de emergência, o atendimento a pacientes com taquicardias é bastante prevalente. Em virtude disso, resolvemos fazer uma revisão focada na identificação e manejo inicial para facilitar sua vida e evitar que você mesmo fique taquicárdico durante o atendimento. DEFINIÇÃO       Taquicardia é definida por uma…

Balaio de gato

Está começando o inverno e com ele o vinho, a lareira, as bronquiolites e os casacões. Apesar de não ser o mais agradável, já sabemos sobre quais desses teremos que falar – não, não pode ser o vinho.                 Antes de falarmos da bronquiolite viral aguda em si, lembre-se: você estará na porta de entrada…

Epiglotite

A epiglotite faz parte de um grupo de condições que antes eram muito prevalentes e com o advento das imunizações tornaram-se menos comuns. Durante as aulas da graduação (especialmente as de pediatria) aprendemos a temê-la, mas a baixa frequência com que é vista atualmente pode nos levar a não pensar nessa doença como diagnóstico diferencial…

Atendimento ao Paciente Intoxicado

As intoxicações agudas representam de 150 a 400 casos por cem mil anualmente nas emergências, e se apresentam dentro de um amplo espectro de etiologias: desde tentativas de suicídio, abuso de drogas, exposição ocupacional, até as ingestões e exposições acidentais. Avaliação Inicial Como em todo paciente grave, o primeiro passo importante na abordagem do paciente…

Síncope

Síncope é uma queixa muito comum no dia-a-dia da emergência e pode ser muito difícil pro emergencista descobrir a sua causa, mas ainda mais difícil é decidir se o paciente precisa internar ou pode ser liberado para investigação ambulatorial. Aqui revisamos alguma ferramentas desenvolvidas para identificar pacientes com alto risco para evoluir com eventos adversos, principalmente por causas cardíacas.

Emergências oftalmológicas

       Quem nunca recebeu um paciente na sua emergência com dor ocular, olho vermelho, perda de acuidade visual ou diplopia e pensou consigo mesmo: “Ihh, isso é coisa pra oftalmo resolver…”. Pois bem, apesar de ser uma estrutura relativamente pequena do corpo humano, o olho pode ser motivo de inúmeras consultas na emergência….

SULFATO DE MAGNÉSIO: AME-O OU DEIXE-O

O sulfato de magnésio, nosso velho conhecido, tem variadas indicações e funções em seu currículo; mas são poucos estudos que realmente comprovam seu real benefício. Aqui fazemos uma revisão das principais indicações e as evidencias disponíveis até agora.

COAGULOPATIA INDUZIDA PELO TRAUMA (CIT)

Hemorragia continua sendo uma das principais causas de morte em vítimas de trauma e o manejo do choque hemorrágico tem mudado nas últimas décadas, assim como o entendimento e manejo de uma das suas principais e letais consequências: a coagulopatia induzida pelo trauma.

Reações Cutâneas Graves

Então quer dizer que pode haver atendimentos dermatológicos numa sala vermelha?! Não é só prescrever uma pomadinha de corticoide com antimicrobiano e mandar embora? Pois então, definitivamente não. A necessidade de reconhecimento de lesões cutâneas em paciente críticos é indiscutível. Uma série de achados dermatológicos são sinais a olho nu – ou microscópicos – de…