Bradiarritmias

Duas da manhã. Você está terminando de despachar o último paciente. E eis que a porta abre com a equipe trazendo um paciente convulsionado. Você chega até a ficar alegre, afinal, Diazepam, laboratoriais, no máximo uma TC de crânio e deixar para a rotina liberar, não é mesmo? É quando um técnico, dos velhos da…

Atendimento ao Paciente Intoxicado

As intoxicações agudas representam de 150 a 400 casos por cem mil anualmente nas emergências, e se apresentam dentro de um amplo espectro de etiologias: desde tentativas de suicídio, abuso de drogas, exposição ocupacional, até as ingestões e exposições acidentais. Avaliação Inicial Como em todo paciente grave, o primeiro passo importante na abordagem do paciente…

SULFATO DE MAGNÉSIO: AME-O OU DEIXE-O

O sulfato de magnésio, nosso velho conhecido, tem variadas indicações e funções em seu currículo; mas são poucos estudos que realmente comprovam seu real benefício. Aqui fazemos uma revisão das principais indicações e as evidencias disponíveis até agora.

Reações Cutâneas Graves

Então quer dizer que pode haver atendimentos dermatológicos numa sala vermelha?! Não é só prescrever uma pomadinha de corticoide com antimicrobiano e mandar embora? Pois então, definitivamente não. A necessidade de reconhecimento de lesões cutâneas em paciente críticos é indiscutível. Uma série de achados dermatológicos são sinais a olho nu – ou microscópicos – de…

Ultrassom a beira leito na parada cardiorrespiratória

O 𝙪𝙡𝙩𝙧𝙖𝙨𝙨𝙤𝙢 𝙖 𝙗𝙚𝙞𝙧𝙖 𝙡𝙚𝙞𝙩𝙤 é uma ferramenta diagnóstica e um grande aliado na tomada de condutas na emergência. Desde os primeiros trabalhos publicados na década de 80, diversos protocolos foram criados para o seu uso focado e sistemático.
Apresentamos aqui uma discussão de um dos últimos protocolos focados no ultrassom a beira leito no atendimento de PCR, o 𝙥𝙧𝙤𝙩𝙤𝙘𝙤𝙡𝙤 𝘾𝘼𝙎𝘼.

Flebotomia na emergência

      Chega na sua sala vermelha um paciente vítima de politrauma, obeso, com PA 70/40mmHg, pele fria e com má perfusão périférica, apenas com um acesso intraósseo disponível obtido no atendimento pré-hospitalar.        Você sabe que necessita fazer a ressuscitação volêmica desse paciente. Podemos realizar através do intraósseo? Ok, é uma…

Queimaduras

Está chegando o final do ano, e naquele seu plantãozinho da virada não está livre de chegar um paciente vítima de queimadura por fogos de artifício, por exemplo. Estes acidentes são preveníveis através de campanhas de conscientização mas, uma vez que ocorrem, a morbidade e mortalidade podem ser incrivelmente melhoradas com um tratamento adequado. Esse manejo vai desde o atendimento pré-hospitalar, até o adequado encaminhamento do paciente para uma unidade de tratamento de queimaduras. É aí que fazemos diferença! Por isso vamos fazer uma super revisão do assunto.